quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Relembre as vilãs que marcaram a carreira de Cristianne Fridman na Record!
























Com primeiro trabalho nas telinhas na novela “Dona Anja” no SBT, a renomada autora Cristianne Fridman só veio a adquirir status de estrela na Rede Record ao produzir três novelas de grande sucesso “Bicho do Mato”, “Chamas da Vida” e “Vidas em Jogo”, sendo que já se encontra em fase de produção o seu mais novo trabalho na emissora “Vitória”, folhetim que irá substituir “Pecado Mortal” de Carlos Lombardi no horário nobre da Record.

O curioso é que ambos os trabalhos na casa tiveram como grandes destaques as suas vilãs. Ruth, Vilma e Regina são relembradas pelo público até os dias de hoje e entraram para a história da teledramaturgia brasileira e pelo o que se percebe, Priscila, personagem de Juliana Silveira em “Vitória” terá o mesmo caminho!

Vamos relembrá-las:



Ruth - "Bicho do Mato": Primeira vilã da atriz Miriam Freeland na TV, Ruth era uma advogada ardilosa, responsável por atormentar a vida da mocinha Cecília, vivida por Renata Dominguez. Invejosa e com um comportamento que varia de acordo com os seus interesses, Ruth deu o que falar e irritou muita gente.



Vilma - "Chamas da Vida": Que ela dava medo em todo mundo, isso dava... A vilã piromaníaca e psícopata não perdia tempo e nem media esforços para conseguir os seus objetivos. Sem escrúpulos e sem papas na língua ela deu trabalho para muita gente. Alimentava no filho Tomás (Bruno Ferrari) o desejo de vingança pela morte do pai.



Regina - "Vidas em Jogo": Viúva, empresária de sucesso, que passou dificuldades na adolescência, casou por interesse e tentou ao longo do folhetim garantir o futuro das filhas Patrícia (Thaís Ferçosa)  e Tatiana (Shaila Arsene)  acima de tudo. Ao passar por dificuldades financeiras e quando Francisco (Guilherme Berenguer) se torna milionário, fica obcecada em garantir o futuro das filhas através do casamento do seu ex-motorista com sua filha Patrícia.

E vem aí...



Priscila - "Vitória": Patricinha, egocêntrica e preconceituosa, a jovem universitária que mora numa república ao lado de mais três colegas Paulão (Marcos Pitombo), Bárbara (Liége Muller) e Enzo (Raphael Montagner), será a líder de um grupo de neonazistas que sempre colocarão em prática o seu desejo de perseguir e menosprezar negros, homossexuais, nordestinos e índios. A jovem inescrupulosa tem como hobby as corridas de motocross e logo irá se envolver com Artur, personagem do ator Bruno Ferrari, fazendo de tudo para dar fim ao seu relacionamento com a joqueta Diana, vivida pela atriz Thaís Melchior.

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade

© Todos os direitos reservados