terça-feira, 8 de abril de 2014

Escassez de atores e escalação de elenco ainda não são problemas para a Rede Record


Atualmente, muito se especula sobre a precariedade de atores no casting da Rede Record. Diferentes meios de comunicação despejam diariamente várias notas, ressaltando a demandada de ex-contratados da emissora para a sua principal concorrente, a Rede Globo. E a última hipótese levantada pela mídia é que as novas produções da teledramaturgia do canal para esse ano estão sendo comprometidas pela falta de profissionais para atuarem nas mesmas.

A nova série “Plano Alto” de Marcílio Moraes e direção de Ivan Zettel e a novela bíblica “Dez Mandamentos” de autoria de Vívian de Oliveira com direção de Alexandre Avancini, que já se encontram em fase de pré-produção estão sendo dadas como as principais vítimas da escassez de atores, o que poderá acarretar no adiamento de ambas para o ano que vem.

No entanto, a situação não parece ser tão constrangedora assim, a ponto de adiá-las para 2015. Com “Conselho Tutelar”, série de cinco capítulos, totalmente gravada e com previsão de estreia para agosto e a minissérie bíblica “Milagres de Jesus”, sendo produzida e exibida em episódios independentes, os atores que participaram das respectivas produções não possuem impedimento de assumirem novos compromissos, afinal, a maior parte estrela apenas um único capítulo. Além disso, há muitos contratados do canal que se encontram disponíveis para novos trabalhos, alguns inclusive, nem se quer estrearam nas novelas como Larissa Maciel e Kátia Moraes e outros seguem com mais de dois anos sem assumirem compromissos na emissora. É o caso de Maria Ceiça, Valquíria Ribeiro, Shaila Arsene, Babi Xavier, Mylla Christie, Bete Coelho, Júlia Maggessi, Cecil Thiré, Franciely Freduzeski, entre outros.

“Vitória”, substituta de “Pecado Mortal” com autoria de Cristianne Fridman e direção de Edgard Miranda é um exemplo bem característico de produção que soube muito bem aproveitar o casting disponível na casa. Em seu elenco a mesma utilizou-se de 99% de atores exclusivos da emissora. As exceções ficaram por conta da contratação de Thaís Melchior, cujo último trabalho foi na novela “Saramandaia” e Camila Avancini, destaque em peças teatrais como “A Serpente” de Nelson Rodrigues, “Além do Horizonte” de Eugene O’Neill, “O inspetor Geral” de Nicolai Gógol e “De Braços Abertos” de Maria Adelaide Amaral.

Investir em novos talentos seria uma ótima maneira de diversificar o elenco, mesmo porque muitos atores de destaque do cinema e do teatro ainda não tiveram oportunidade de demonstrarem os seus trabalhos nas telinhas. Outra alternativa seria valorizar o passe daqueles artistas que fazem pontas e participações especiais em seus folhetins. Muitos surgem na emissora com aparições em séries, novelas e minisséries e pelo fato de fazerem boas atuações mereciam um retorno a altura, através de um personagem fixo. Alexia Garcia, Ítalo Villani, Thaís Vaz, Caetano O’Maihlan, Marcelo Pio, Junior Vieira, Daniel Satti, Ana Miranda, Wendell Duarte, Edu Porto, Nanda Oliveira, Helder Gatelly, Daniel Villas, William Vita, Laíze Câmara, Caco Baresi, Samir Murad, além de tantos outros, são ótimos exemplos.

Como sabemos atores de peso, com muitos anos de carreira e rostos conhecidos não são mais garantia de audiência, algumas novelas exibidas atualmente não nos deixam mentir. Já a hipótese que a falta de atores esteja afetando as novas produções da Record podemos desmitificá-la, afinal, são mais de 200 atores com contratos fixos vigentes, dentre os quais menos de 100 estão no ar. Logo, a escassez de atores e a escalação de elenco ainda não são problemas para a segunda maior emissora do país!

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade
© Todos os direitos reservados

Leia também: