quarta-feira, 9 de abril de 2014

“Uma honra!”, diz Luis Augusto Formal sobre atuar em “Pecado Mortal” de Carlos Lombardi
























Ele foi a versão infantil de Selton Mello em “Mulher Invisível”, Cláudio Gabriel em “Sansão e Dalila” e Rodrigo Cardoso em “A Vida da Gente”, atualmente é só elogios em seu segundo personagem fixo nas telinhas, após atuar em “Amor Eterno Amor” na Globo. Intérprete do pequeno Gui em “Pecado Mortal”, folhetim de estreia de  Carlos Lombardi na Record, o jovem e talentoso ator Luis Augusto Formal vê a sua carreira de ator se consolidando após inúmeras participações em comerciais de TV. 

Com seu trabalho de estreia nas telinhas fazendo uma participação especial em “Luz do Sol”, novela exibida pela Record no ano de 2007 com autoria de Ana Maria Moretzsohn, Luis Augusto Formal percebe o quanto evoluiu profissionalmente nesses últimos anos e se sente realizado ao atuar num trabalho do renomado autor Carlos Lombardi: Uma honra, sinto que ele escreve para o Gui, de acordo com que o Gui corresponde, senti isto esta semana. Fiz cena de atropelamento e ficou muito legal. Fui eu mesmo quem fiz, não tive dublê. Agora o deslizamento também não tive dublê, acredito que ele também esteja feliz pelo meu trabalho. Acredito que o autor também vive o personagem e quando a gente consegui corresponder ele fica satisfeito”, ressaltou Luis Augusto Formal.

Criado sozinho pela mãe Laura, interpretada pela atriz Carla Cabral, Gui, personagem de Luis Augusto vem rendendo ao ator momentos memoráveis como a cena em que descobre que o seu pai biológico é o mecânico Bernardo, vivido por Gero Pestalozzi. As cenas divididas com a mãe Laura, uma enfermeira, que tem vida dupla como stripper são um show a parte. A ligação entre ambos demonstram consentimento e verdade. Com diálogos bem construídos, eles se completam e deixam os telespectadores emocionados.

Ao lado de Pietra Goa e Luiz Felipe Mello, Luis Augusto Formal completa o elenco infantil de “Pecado Mortal”, trio este que antes de ser escalado passou por uma bateria de testes. O resultado de tamanha exigência não poderia ser diferente: elogios e mais elogios e uma sensação de dever cumprido: Confesso que gosto dos atores e da condução que dou a Rafa, Ró e Gui!”, destacou o autor da trama Carlos Lombardi. 

Sobre os momentos finais do folhetim, o ator mirim revela que na sua opinião família unida é tudo; sendo assim, torce pela união entre Laura, Gui e Bernardo. Já com relação aos planos para o futuro, ele tem o desejo especial de fazer uma nova produção bíblica: “Só fiz uma. E gravei só o primeiro capítulo, mas gosto muito de História. Acho trabalho de época o máximo. Se eu tiver a oportunidade vou adorar!” declarou o talentoso ator, que sem dúvida alguma tem um futuro brilhante pela frente! 

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade
© Todos os direitos reservados

Leia também: