quarta-feira, 14 de maio de 2014

Bullying, analfabetismo e falta de vocação para a docência serão retratados em “Vitória”, na Record























A educação brasileira vem passando por grandes transformações nas últimas décadas, muitas delas inclusive, tiveram como resultado uma maior ampliação no número de crianças, jovens e adultos frequentando a escola, assim também como uma significativa elevação no nível médio de escolarização do país. No entanto, tais mudanças ainda não têm sido suficientes para colocar o Brasil no patamar educacional esperado.

Em contrapartida, muitos problemas surgiram, não foram supridos ou se fortaleceram nesse curto espaço de tempo. Em “Vitória”, nova novela da Rede Record de autoria da conceituada dramaturga Cristianne Fridman e direção geral de Edgard Miranda, algumas adversidades enfrentadas pela educação brasileira contemporânea estarão em evidência e serão debatidas ao longo da trama.

Priscila, personagem vivida pela atriz Juliana Silveira, apesar de preconceituosa, fria, calculista e neonazista será dona da Escola Priscila Schiller, que embora seja particular enfrentará muitos desafios comuns em qualquer estabelecimento de ensino. 

A bela vilã atribuiu a Dona Yone Gusmão, interpretada pela atriz Nina de Pádua a direção do colégio. Idealista, íntegra e cheia de amor pela profissão, ela fará de tudo para manter a qualidade do ensino e sempre estará à disposição de todos. No entanto, entrará em constante conflito com a postura, os ideais e a falta de caráter de Priscila.

Ao renomado ator André Di Biase caberá dar vida ao impaciente Professor Dante. Frustado e sem menor vocação para a Matemática, disciplina pela qual ministra, ele viverá em pé de guerra com a Professora de Português Clarice, vivida pela atriz Beth Goulart. 


Além disso, prepotente não aceitará o excelente desempenho do seu melhor aluno, Cicinho, interpretado pelo ator mirim Pablo Mothé, que será uma espécie de gênio da Matemática, mas que por outro lado faltará muitas aulas para ajudar o pai no trabalho: “O Professor deixa claro que não gosta de Cicinho por causa das faltas dele e sempre fica ao lado do Dinho!”, destaca o ator mirim Pablo Mothé, que inclusive, roubou a cena recentemente ao dar vida ao pequeno Auzenate na minissérie bíblica “Milagres de Jesus”

Ainda estará presente no núcleo escolar do folhetim a professora de Biologia Rosa, vivida pela atriz Camila Avancini. Tradicional, a bela só pensa em se casar e morre de medo de passar da idade de ter filho ou acabar ficando para titia. 

A alimentação da criançada ficará por conta de Virgulino, interpretado pelo ator Ricardo Ferreira e de Bruno, personagem do ator Augusto Garcia, que fará questão de oferecer uma merenda saudável a base de legumes, frutas e verduras para todas as crianças, entre elas Gabi, personagem da atriz mirim Victória Diniz que sofrerá bullying por parte do colega Dinho, pior aluno da classe, interpretado pelo ator Zeca Gurgel, simplesmente pelo fato de ser gordinha.

Cozinheira do colégio e analfabeta, Anastácia vivida pela atriz Roberta Gualda também vai dar o que falar. Sem saber ler, nem escrever com precisão, ela contará com a ajuda do colega de trabalho Bruno para tentar mudar sua triste condição. Um relatório divulgado esse ano pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) apontou que essa realidade é mais comum no nosso país do que imaginamos. Segundo o estudo o Brasil aparece em 8° lugar entre os países com maior número de analfabetos adultos. Inclusive, dados do IBGE divulgados em setembro de 2013, demonstraram que a taxa de analfabetismo de pessoas de 15 anos ou mais é estimada em 8,7%, o que corresponde a 13,2 milhões de analfabetos no país, uma infeliz constatação que merece ser mudada o quanto antes.

Mas será que Anastácia conseguirá realizar seu grande sonho de aprender a ler e escrever? Como Gabi vai se livrar do bullying cometido pelo colega de escola? Poderá ser Cicinho um autoditada? E o professor Dante continuará numa profissão pelo qual não tem vocação? Para saber essas e outras respostas só mesmo acompanhando “Vitória” a partir do dia 2 de junho às 21h30 na tela da Record. Promete!

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade
Colaborou: Maressa Villa Real - @maressavilareal
© Todos os direitos reservados

Leia também: