terça-feira, 22 de julho de 2014

Prestes a produzir novela sobre escravidão, Record só possui 8 atores negros em seu casting



Com título provisório de “Escrava Mãe”, a nova aposta da Rede Record para a sua teledramaturgia com autoria do jovem e promissor dramaturgo Gustavo Reiz que substituirá “Vitória” de Cristianne Fridman no primeiro semestre do ano que vem contará a trajetória de vida da avó e da mãe da eterna escrava Isaura.

A história, que será uma espécie de prólogo dos antepassados da escrava vivida pela atriz Bianca Rinaldi, que tem texto original de Bernardo Guimarães e foi adaptado por Gilberto Braga na Globo e posteriormente por Tiago Santiago na Record, mostrará os empecilhos sofridos pela sua mãe Juliana, interpretada pela atriz Valquíria Ribeiro que por não se submeter aos desejos do seu dono, o comendador Almeida, vivido pelo falecido ator Rubens de Falco, sofrerá os piores castigos. 

No entanto, chama-se atenção o fato da emissora possuir atualmente apenas 8 atores negros em seu casting e que poderão vir a ser escalados para a nova produção. Valquíria Ribeiro, Rocco Pitanga, Maria Ceiça, Nill Marcondes, Gabriela Moreyra, André Ramiro, Roberta Santiago e Aline Borges são os únicos entre os inúmeros atores negros que já passaram pela casa que seguem com contrato fixo com o canal. Entre eles, Aline Borges e Rocco Pitanga que estão no ar em “Vitória”, obviamente não poderão assumir novos compromissos.

Se por um lado a falta de atores negros em seu casting pode trazer à tona a decadência do mito da democracia racial, por outro pode ser a oportunidade para que novos talentos sejam lançados  ou que alguns exímios atores disponíveis no mercado e longe da TV a um bom tempo como Isabel Fillardis, Ana Miranda, Aisha Jambo, Déo Garcez, Edyr de Castro, Ana Carbatti, Léa Garcia, Rosa Marya Colin, Gésio Amadeu, Darlan Cunha, Adriana Lessa, Maurício Gonçalves, Junior Vieira, João Garrel, Jefferson Brasil, Marli dos Santos, Cintia Rosa, entre outros, possam ser contratados e logo escalados para futuros trabalhos que não sejam necessariamente sobre a escravidão como de praxe. Fica a dica!

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade
Colaborou: Maressa Villa Real - @maressavilareal
© Todos os direitos reservados

Leia também: