quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Rafael Sardão e sua versatilidade na arte de atuar

"Diferenciar completamente o Salmon do Uri, foi a primeira preocupação."

Rafael Sardão Capa-Slide Portal Recordista.
Rafael Sardão como Uri em Os Dez Mandamentos e como Salmon em A Terra Prometida

Rafael Sardão é um desses atores que não se limita e nem se deixa levar pela vaidade. Dedicado ao ofício de viver outras vidas por meio de sua arte dramática, o ator está sempre estudando. Na TV Record o ator tem conquistado papéis importantes e com características completamente diferentes.  Mesmo depois de ter feito um personagem na novela, Os Dez Mandamentos, o ator foi escalado para A Terra Prometida. Perguntado sobre o fato de correr o risco de o público não separar um personagem do outro o ator disse: “... tinha que mudar tudo, registro vocal, postura, olhar, etc...”

"Eu acredito no trabalho. 
Na dedicação máxima ao seu ofício 
como forma de se conquistar 
vitórias profissionais." 

Focado em seu trabalho em A Terra Prometida, quando perguntamos sobre projetos futuros, Rafael Sardão disse que prefere continuar mergulhado no universo do Salmon e terminar bem a novela.

Sobre o seu momento atual como ator e o sucesso na novela, A Terra Prometida, Sardão mostra-se muito contente com o trabalho e ciente de que tudo é consequência de dedicação e estudos.
“Eu me dediquei ao máximo a cada cena que pude fazer, a cada curso que me engajei, a cada espetáculo de teatro que fiz, e isso me trouxe a esse momento atual. ”

"Vivo um momento profissional muito especial, 
mas acredito que só vivo esse momento 
porque fiz de todos os momentos da minha carreira, 
um momento especial para mim." 

De José do Egito a A Terra Prometida, o ator transitou por personagens completamente diferentes. Participou também da primeira novela de Carlos Lombardi na Record, Pecado Mortal.

Hoje, Rafael Sardão é um desses atores da casa que merece atenção e prestígio. Já mostrou seu talento, sua capacidade de fazer qualquer personagem e vem agradando ao público de um modo geral, principalmente o feminino.

Acompanhe a conversa que o Portal teve com o ator, na íntegra.

Você participou de Os Dez Mandamentos e agora em A Terra Prometida, dois personagens completamente diferentes. Como foi para você, como ator, fazer essa transição? 

Rafael Sardão em cena de Os Dez Mandamentos e em A Terra Prometida

Foi uma das minhas primeiras preocupações quando fui chamado para A Terra Prometida. Diferenciar completamente o Salmon do Uri. Tinha que mudar tudo, registro vocal, postura, olhar, respiração, a ponto de não enxergarem no Salmon nenhum sinal do Uri. Foi muito instigante esse desafio, fui buscar referências em seriados e filmes, busquei a ajuda da nossa equipe maravilhosa de coach da Record, para encontrar esse novo personagem.

Na TV você vem mostrando versatilidade. Papéis diferentes surgindo. Essa oportunidade, poucos atores conseguem. Como você descreve essa sua excelente fase na carreira de ator?

Eu acredito no trabalho. Na dedicação máxima ao seu ofício como forma de se conquistar vitórias profissionais. Acho que o ator é um profissional que precisa de estudo, técnica, habilidades específicas. Quanto mais habilidades, quanto mais estudo, mais possibilidades você tem como ator de desempenhar diferentes papéis com a mesma qualidade. Costumo dizer que busco, na profissão, ser um camaleão, uma massa de modelar, que se transforma a cada trabalho em uma outra persona.

Sou muito grato pela oportunidade de desempenhar papéis tão distintos, por isso busco dar meu máximo, para honrar a confiança que me depositaram, sobretudo com um personagem tão importante e complexo como Salmon, além de buscar, com uma certa obsessão, confesso, trazer para o público um trabalho diferenciado e comprometido, para deixar nele minha marca, minha assinatura.

Vivo um momento profissional muito especial, mas acredito que só vivo esse momento porque fiz de todos os momentos da minha carreira, um momento especial para mim. Me dediquei ao máximo a cada cena que pude fazer, a cada curso que me engajei, a cada espetáculo de teatro que fiz, e isso me trouxe a esse momento atual. Eu só posso agradecer e fazer por onde erecer estar aqui.

Qual a diferença entre atuar em uma novela bíblica e uma novela tradicional?



Pra se pensar em atuação hoje em dia precisa se pensar, antes de qualquer coisa, na "Verdade cênica" ou "Fé cênica". O público precisa acreditar que aquele personagem é uma pessoa de verdade, que sente dor, medo, amor, ódio, etc. Nesse sentido a premissa básica da atuação não muda, você precisa ser verdadeiro, no olhar, na respiração, na fala, independentemente de estar em uma novela épica ou contemporânea.

O que muda, nesse caso, é que você precisa mergulhar em um mundo de mais de 3 mil anos atrás. Se integrar de costumes, das questões da época, das funções sociais do personagem, no meu caso um comandante do exército, e isso traz desafios diferentes dos desafios de uma novela contemporânea.

A mim, me instiga o épico. Nunca imaginei viver um guerreiro do exército de Israel,(A Terra Prometida) ou um joalheiro do Egito,(Os Dez Mandamentos) ou um copeiro do faraó. (José do Egito) Isso para um ator é um presente e um deleite.

Quais os seus planos depois de "A Terra Prometida, já existe algum outro projeto na Record?

Eu não paro. Estou sempre com algumas coisas acontecendo em paralelo. Estou trabalhando para lançar meu primeiro livro ainda em novembro desse ano. Trata se de um conto escrito por mim que vou publicar. Estou também finalizando o Clipe "Juras", minha primeira incursão no mundo da direção de audiovisual. 

Além disso, meu espetáculo de teatro "Passional", adaptação do meu conto para teatro, que estreou no Sesc Tijuca em julho, tem previsão de voltar aos palcos em 2017. Em televisão, ainda estou muito focado no Salmon, não parei ainda para pensar nos próximos trabalhos, quero finalizar bem a "Terra Prometida" para começar a pensar no próximo.

Quero deixar um grande abraço a todos que me seguem nas redes sociais, que acompanham e vibram com o meu trabalho, sou muito grato por poder exercer minha profissão em um país onde o artista está cada vez menos valorizado. Poder exercer minha profissão, recebendo o carinho de todos vocês, me faz acreditar na minha escolha e me instiga a ser cada vez melhor.

Obrigado, Shalom!

Acompanhe o ator, Rafael Sardão em suas redes sociais:

Twitter:@RafaelSardao
Instagram: rafael_sardao
FanPage: Rafael Sardão 


Texto de:






 André Lima
Twitter : @andrem1lima


Colaboração:








Rafael Oliveira
Twitter: @FaeelOliiveira









Elthon Ribeiro
Twotter: @elthonfribeiro