sábado, 25 de fevereiro de 2017

#Crítica: A #RecordTV só passa desgraça o dia todo?

                               





Na última semana, o bispo Marcio Carotti falou durante uma transmissão ao vivo no programa "Fala que eu Te Escuto", falou: Um monte de desgraça que passa na Record. Desgraça dá audiência. Na Record tem um monte de coisa que não presta”.

Mas será que a emissora passa desgraça o dia todo mesmo? Vamos começar a analisar a programação de segunda a sexta, o jornalismo policial predomina na grade, das seis horas da manhã até quase 11h é destinado às notícias do dia, grande parte sobre acidentes, mortes e crimes. Enquanto a Globo exibe telejornais e programas de entretenimento e o SBT, um telejornal e desenhos infantis.

Logo depois, das 12h até às 14h, o jornalismo volta a programação com as notícias de São Paulo, do Brasil e do mundo no “Balanço Geral SP”, dá uma pausa para a “Hora da Venenosa” e as novelas reprisadas.

Às 17h, começa o “Cidade Alerta” com Marcelo Rezende, o jornalismo “mundo cão” domina as reportagens, apesar das brincadeiras de Marcelo com Percival e os repórteres. 19 e 40 inicia as novelas “A Escrava Isaura” e em seguida, a bíblica “A Terra Prometida”. O principal jornal da emissora, o “Jornal da Record” sempre começa com notícias policiais, terminando às 22 e 45.

Ao todo são 10 horas e 30 minutos destinados ao jornalismo, sendo grande parte ao policial, em seguida o político, configurando a emissora dentre as maiores que mais se dedica as notícias. A Globo tem 7 horas e meia e o SBT quase 8 horas.

O bispo em parte tem razão, de segunda a sexta, a Record TV investe em notícias, e muitas vezes desagradáveis, mas o jornalismo é feito só de desgraças? Não, podemos ter informações sobre saúde, esportes, cinema, entretenimento e diversos assuntos. E por que não investir em programas de entretenimento pela manhã ou aumentar a duração do “Hoje em Dia” para 3 horas e investir em realities shows?

No fim de semana, a Record tem um contraste, no sábado a programação é bem mais equilibrada, tem espaço para o jornalismo bem menor que durante a semana, esportes, filme, desenho e programas de auditório alegres, divertidos, sem choro ou assistencialismo.

Já no domingo, tem dois auditórios: o “Domingo Show” e “A Hora do Faro” carregado de choro, assistencialismo e histórias “emocionantes”. Antes havia programas bem divertidos nesse dia da semana como “Tudo é possível” com Eliana e depois Ana Hickmann e o “Domingo da Gente” em 2013/2014. Apenas às 19 e 30, que suaviza e começa o “Domingo Espetacular” que tem poucas matérias policiais, encerrando com uma série norte- americana.

Nas madrugadas, a Record TV vende o horário para a Igreja Universal que exibe o "Fala que eu Te Escuto", e programas que "ajudam" os fiéis a saírem da miséria, problemas de relacionamento, saúde e tantos outros, que para alguns são programas bons, que podem ser assistidos por todos e acima de tudo, ajudam. Claro, as novelas e produções bíblicas que a emissora exibe também é uma programação "sadia" e deve ser valorizada.

Independente de religião, gostar ou não da Record TV, a ligação entre a emissora e a Igreja Universal é forte, explícita e afugenta muitos telespectadores, e a "imagem" de uma televisão que "explora" a desgraça alheia, são fatores que fazem com que ela não alcance maior número de telespectadores e a tão sonhada liderança. Mas o objetivo é fazer uma programação "laica", conseguir audiência e diversos públicos ou "religiosa" e agradar os "evangélicos" e membros da Igreja Universal?



                              Siga o Portal no Instagram
Elthon Ribeiro
Twitter: @elthonribeiro
Instagramelthonfribeiro