segunda-feira, 31 de março de 2014

Produções bíblicas da Record necessitam de um cuidado maior em suas escalações
























Que as minisséries bíblicas são o carro-chefe da Rede Record atualmente, não há como negar. Detentoras dos maiores índices de audiência do canal nos últimos anos, as histórias épicas religiosas oferecem aos telespectadores não só uma reflexão sobre o mundo atual em paradoxo com os valores cristãos da antiguidade, mas também uma ótima opção de entretenimento aliada a muita qualidade, que felizmente, só vêm aumentando a cada nova produção. 

Com roteiro, elenco, figurinos, cenários, trilha sonora, edição, locações e fotografia que não deixam a desejar, muito pelo contrário, a Record vem mostrando que encontrou o seu caminho, afinal, as minisséries bíblicas são marca registrada do canal e já entraram para a história da teledramaturgia brasileira, inclusive, de destaque internacional, as diversas premiações recebidas fora do Brasil não nos deixam mentir.

No entanto, já se percebe a necessidade de se ter um cuidado maior no que diz respeito à escalação do elenco de suas produções religiosas. Com cinco minisséries bíblicas, “A História de Ester”, “Sansão e Dalila”, “Rei Davi”, “José do Egito” e “Milagres de Jesus”, já se pode observar casos de atores com três trabalhos épicos religiosos no currículo, alguns até consecutivos, enquanto outros contratados da emissora não possuem sequer algum. 

Daniel Bouzas, Camila Rodrigues e Paulo Nigro, são os exemplos mais característicos, ambos carimbaram em “Milagres de Jesus”, as suas terceiras produções bíblicas. Não que isso seja ruim para as suas carreiras, afinal, são escalados devido ao talento e a confiança depositada em suas atuações. Mas por outro lado, o público fiel das tramas religiosas pode começar a observar tal fato e os temíveis rótulos de que sempre repetem os mesmos atores vão acabar surgindo.


Ator premiado no cinema, Daniel Bouzas, que estreou na TV na emissora, nunca fez trabalho contemporâneo na casa, no entanto, foi Itai em “Rei Davi”, Thot em “José do Egito” e Cosbi em “Milagres de Jesus”. Camila Rodrigues, uma das grandes contratações do canal no ano de 2011, ainda não estreou em novelas na Record, por outro lado já deu vida a Tamar em “José do Egito”, Merabe em “Rei Davi” e interpretará a Iona em “Milagres de Jesus”. Já Paulo Nigro, que desde “Os Mutantes” em 2008, não atua em novelas, foi destaque na pele de Aridai em “A História de Ester”, Siquém em “José do Egito” e Elizel na atual “Milagres de Jesus”

Contrastando com tudo isso, tantos outros nomes de peso ainda não debutaram nas superproduções bíblicas da casa, o que o diga Luiza Tomé, Valquíria Ribeiro, Cecil Thiré, Victor Fasano, Solange Couto, Stella Freitas, Bete Coelho, Nicola Siri, Franciely Freduzeski, entre tantos outros contratados e disponíveis no mercado. É preciso ponderar!

Texto por Luciano Andrade - @luccandrade
© Todos os direitos reservados

Leia também: