segunda-feira, 9 de março de 2015

Exclusivo - Portal Recordista entrevista o ator Ricardo Ferreira, o "Virgulino" de #vitória


Uma vez, Eva Wilma disse: "O ator se comunica de corpo e alma inteiros no espaço cênico livre. Eu digo livre porque pode ser no palco, pode ser no picadeiro, pode ser no teatro de rua, pode ser até mesmo numa sala. Mas será sempre um ser humano que se comunica diretamente com outros seres humanos.".

talvez essa possa ser a melhor forma de apresentar ao leitor do Portal Recordistas, a entrevista exclusiva com o ator Ricardo Ferreira, o Virgulino da novela Vitória.


Um ator é aquele que deixa a sua vaidade de lado e se entrega de corpo e alma para contar uma história. Emoção, paixão, visceralidade. Leia na íntegra a entrevista que o Portal Recordista traz para o público da novela Vitória que está em sua fase final.

PR – Em Vitória, você encarna um personagem homossexual e nordestino. Dois assuntos em pauta no cenário político e social do Brasil. Para você, como ator, qual a importância deste personagem, dentro de uma novela?



Quando recebi o convite para esse personagem fiquei bem feliz, pois ele traz uma responsabilidade grande. Retratar o preconceito é algo muito importante. Estamos no de 2015, mas a cultura não acompanha o progresso. É triste que pessoas não possam amar a quem queiram. 

É triste ver um ser humano ser impedido de entrar no metrô por ser negro. É triste que tenham pensado na hipótese de ter um muro separando o país. Virgulino foi um presente e me ajudou muito enquanto ator e enquanto ser humano. 

PR – O Virgulino é um personagem que foge dos padrões do personagens gays em novelas. Ele é divertido mas não é caricato. Ele é amigo e carrega consigo uma leveza pouco ou nunca vista em novela. Essa característica do Virgulino tem um “dedo” seu ou a Cristianne Fridman já o criou assim?

Virgulino é uma criação conjunta. Tem o texto da Fridman e seus colaboradores. Tem o processo de pesquisa de voz/sotaque que foi feito junto à doutora Vanessa Pedrosa, uma fonoaudióloga sensacional que a Record colocou à minha disposição. 

Tem a pesquisa de corpo e comportamento que trabalhei junto ao mestre Ronaldo Nogueira, coach e preparador de elenco da Record. Tem a influência do figurino, da arte. Tem os toques da direção. E por final, tem o meu trabalho, a minha alma, a minha dedicação. 

PR – Você tem algum tipo de “final” favorito ou desejado para o Virgulino? Ou você prefere a surpresa?



Não tenho como escolher isso. A cada capítulo que chega, uma surpresa aparece. Eu gosto muito de ser surpreendido. Nos estimula mais. E certamente o final que for escrito será o melhor para o personagem. Sem dúvida.

PR – Na TV, o Virgulino é seu personagem de maior expressividade e importância, até o momento, em sua carreira?

Sim. Eu fiz algumas participações em novelas, séries e programas na Tv, mas personagem mesmo, eu tive o Galeto de Dona Xepa, o Amaral da série A Segunda Vez da Multishow e o nosso querido Virgulino. Meu personagem mais complexo.

PR – Como você gerencia seu tempo e vida nesse momento de sua carreira, enquanto a novela Vitória está no ar?



Não é difícil. Faço minha programação em cima do roteiro de gravação da semana. Sempre dá tempo pra tudo.

PR – Sobre projetos paralelos. Conte-nos o que tem feito? Fale sobre o IMPROMÉDIA.



Ah, o Impromédia é a minha paixão. Somos 4 "malucos" com o mesmo objetivo: fazer a platéia rir. Trabalhamos com jogos de improviso, cenas de humor, videos, músicas. Estamos juntos há 3 anos. No ano passado fechamos parceria com o nosso diretor Claudio Manoel (ex-Casseta e Planeta) e fizemos uma temporada maravilhosa no Teatro dos Grandes Atores, Barra. 

Nesse ano, estivemos em janeiro no Theatro NET Rio e agora vamos viajar. Em março estamos no Teatro Arthur Azevedo em Campo Grande. Em abril, no Teatro Armando Gonzaga, em Marechal Hermes. E em maio estaremos na Região Serrana.

PR – Quando é que você foi “mordido” pelo bichinho do teatro? Houve um momento que você decidiu que ser ator era o seu ofício?



Eu comecei a fazer curso de teatro no colégio. Fui fazendo uma peça aqui, outra ali. Recebi convites de outros grupos para montar peças juntos e não parei mais. 

PR – Sobre o que gostaria de falar, que nós não perguntamos?



Gostaria de agradecer o carinho que vocês tem pelo meu trabalho. Desde Dona Xepa que estamos juntos e vamos sempre em frente! Valeu mesmo pelo carinho. Beijos em todos e não deixem de acompanhar os últimos momentos de Vitória. ME SALVE LAMPIÃO!


O Portal Recordista agradece ao Ricardo Ferreira por ter nos dedicado um pouco do seu precioso tempo. Desejamos todo o sucesso do mundo ao ator e que ele se realize cada vez mais na carreira. Vida longa ao Ricardo. Vida longa à Arte. 

Entrevista por:






 André Lima
Twitter : @andrem1lima

Edição e formatação de texto, edição de fotografia e colaboração. 







Postado Por: Rafael Oliveira
Twitter: @FaeelOliiveira